GESTÃO • MEIO AMBIENTE • REÚSO

BLOG

DESTAQUES

Você conhece os desafios de combinar tratamento de efluentes e inovação?

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Pode até parecer que não, mas água e inovação podem ter muita coisa em comum. Para unir esses dois fatores é importante levar em consideração a preocupação com a disponibilidade de água potável para a população, assim como pensando nas próximas gerações.

Dentro desse cenário, têm sido desenvolvidas diversas opções de aperfeiçoamentos para disponibilizar recursos à população de forma sustentável, assim como buscando a preservação de mananciais.

Segundo o Instituto Trata Brasil, mais de 35 milhões de brasileiros ainda não têm acesso à água potável. Em contrapartida, a organização não governamental SOS Mata Atlântica mostrou, em estudo realizado, que 75% da população considera a qualidade da água regular. Esses dados servem para exemplificar que, apesar de ter muito o que melhorar, a distribuição da água potável vem melhorando a cada ano.

Para ajudar você a entender mais sobre o tema, a Gmar desenvolveu este artigo que mostrará a importância de investir em inovações voltadas ao abastecimento de água com qualidade, principalmente a água de reúso. Ficou interessado? Então continue a leitura!

Conheça o método de água de reúso

Muitas pessoas ainda não conhecem esse procedimento, mas a água de reúso pode ser considerada aquela que foi usada pelas pessoas em residências, indústrias e na agricultura e que, depois de passar por um processo de tratamento específico, volta a ser utilizado para uso diverso.

Vale destacar que, aqui no Brasil, este tipo de água ainda não é utilizada para o consumo das pessoas como água potável, porém é fundamental para empresas e usos diversos.

É possível que esse tipo de reutilização seja feita de forma direta ou indireta. Quando falamos o uso direto é aquele que se dá quando há tratamento das águas vindas do esgoto e, feito isso, acaba indo para seu ponto de descarga até o local de reutilização, não sendo jogado no meio ambiente.

Agora, quando comentamos sobre o reúso indireto, trata-se do tratamento de águas vindas dos efluentes. Elas são descarregadas de maneira planejada em rios e lagos para serem reutilizadas.

De modo geral, a água de reúso ajuda a melhorar a distribuição de água para a população, principalmente melhorando o problema de abastecimento. É, basicamente, uma alternativa sustentável de uso de água.

A meta do Governo Federal é alcançar a universalização até 2033, garantindo que 99% da população brasileira tenha acesso à água potável e 90%, ao tratamento e à coleta de esgoto e a água de reúso pode ser uma alternativa para alcançar esse objetivo que, até o momento, parece bem distante.