GESTÃO • MEIO AMBIENTE • REÚSO

BLOG

DESTAQUES

Qual a relação do saneamento ambiental e a Covid-19?

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O saneamento ambiental é um conjunto de infraestrutura fundamental para que exista a garantia de qualidade de vida e de desenvolvimento social e econômico da população. É por meio dele que diminuímos, principalmente, os riscos de contaminação e doença entre as pessoas.

De fato, investir nesse segmento parece ser fundamental. Porém, no Brasil, as coisas não funcionam exatamente assim. Prova disso é que quase metade da população nacional ainda não tem acesso a sistemas de esgotamento sanitário. Pelo menos é o que garante a pesquisa realizada pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). 

Se colocarmos em números, isso representa quase 100 milhões de brasileiros sem acesso à infraestrutura básica. Vale destacar, também, que mais de 16% da população, ou quase 35 milhões de pessoas, não têm acesso à água tratada. 

Alinhando a falta de acesso ao saneamento básico com a atual situação pandêmica que nos encontramos, é certo afirmar que pessoas mais vulneráveis correm mais riscos de serem contaminadas com o Covid-19.

Saneamento básico x Covid-19

É correto afirmar que o saneamento básico está diretamente ligado com investimentos voltados às áreas da saúde e qualidade de vida. Isso se deve por um motivo muito simples: é por meio dele que graves problemas são combatidos, contribuindo para uma melhor qualidade de vida da população. 

Levando em consideração que cerca de 47% da população brasileira não possui acesso ao sistema de esgoto, é certo dizer que nessas regiões menos desenvolvidas o risco de contaminação a diversas doenças é maior.

Nesse sentido, o saneamento ambiental é fundamental na prevenção de doenças, como a hepatite A, febre tifóide, febre amarela, malária e, a mais falada atualmente: Covid-19. Mas você deve estar se perguntando “como isso contribui para a disseminação do vírus?”. É simples: o Covid-19 pode ser provocado pelo contato com alimentos mal higienizados, além da falta de higiene e cuidado com as mãos.

Lembremos que estamos falando de uma doença infecciosa causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 – SARS-CoV-2. Por ser de fácil disseminação, a falta de saneamento básico intensifica a proliferação. Um local sem saneamento pode ser considerado de pouca higiene. E a melhor forma de combate ao vírus, além do distanciamento e uso de máscara, é a intensificação da higiene.

Além do Brasil

A falta de saneamento básico é um problema que assola países do mundo inteiro. Para você ter uma ideia da gravidade, mais de 2,5 bilhões de pessoas não contam com esse serviço nas suas residências. Isso, segundo dados do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA, coletados em 2010.

O cenário ainda é muito preocupante, mesmo que tenha evoluído gradativamente nos últimos anos. Muito provavelmente, os altos números de contaminados pelo Covid-19 também tem relação direta com a falta de acesso das pessoas quando o assunto é saneamento básico.