GESTÃO • MEIO AMBIENTE • REÚSO

BLOG

DESTAQUES

Quais problemas a falta de manutenção ou a operação incorreta de uma ETE podem causar?

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Cada vez mais tem se desenvolvido a tecnologia dos processos de tratamento de efluentes, garantindo que o descarte seja menos impactante ao meio ambiente, reduzindo custos e aumentando a quantidade de água de descarte reutilizada, bem como a de água potável economizada.

No entanto, a utilização incorreta destas tecnologias pode acarretar justamente no efeito contrário. Por se tratar de equipamentos que, continuamente, tratam efluentes, separando o que deve ser descartado do que pode ser reutilizado, é preciso que a manutenção seja feita periodicamente e de forma adequada, realizando procedimentos como, por exemplo, a limpeza dos elementos filtrantes, para que estes não fiquem sobrecarregados e acabem descartando resíduos nocivos ao meio ambiente.

Isso, além de ocasionar a contaminação do ambiente, pode incidir em multas para a sua empresa por não atender os quesitos legais de descarte de resíduos. Sendo assim, a falta de manutenção prejudica a vida útil dos componentes das estações de tratamento, acarretando em prejuízos e gastos muito elevados do que os de uma manutenção preventiva.

Possuir uma equipe capacitada para a operação das ETEs se tornou essencial nos dias de hoje. Um profissional capaz de entender as minúcias dos equipamentos pode identificar possíveis problemas, bem como entender se a estação de tratamento está trabalhando, ou não, dentro dos parâmetros sob os quais foi projetada.

Pensando nisso, a Gmar Ambiental trabalha também com a operação e manutenção das estações de tratamento de efluentes desenvolvidas por nós garantindo o melhor para a sua empresa, para o seu bolso e para o meio ambiente!