GESTÃO • MEIO AMBIENTE • REÚSO

BLOG

DESTAQUES

Conheça a relação entre o tratamento de efluentes e a cerveja

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Assim como os outros segmentos, a indústria cervejeira também produz efluentes a partir de suas atividades tanto de produção como de manutenção. Realizar o tratamento desse composto de resíduos é igualmente importante, do mesmo modo que ocorrem nos demais setores.
Manter o ambiente industrial seguro, livre de sujeiras e impurezas é essencial para o meio ambiente e até para a saúde dos mestres cervejeiros e outros profissionais. Os fabricantes de cerveja devem se atentar para a necessidade de fazer o tratamento dos resíduos gerados em suas produções, pois eles trabalham com água como uma de suas principais matérias-primas e não podem deixar os efluentes prejudicar a qualidade dos corpos d’água.

Da mesma forma que ocorre com outras indústrias, os efluentes são despejados em rios e lagoas, por exemplo, e em estações de tratamento de água administradas pelo Governo.

Quais são os efluentes originados em cervejarias?

Dentro da indústria cervejeira, a água é utilizada para a limpeza de ambientes, lavagem de peças e equipamentos, e para ajudar a compor os desinfectantes (misturando-se ao cloro). Quando descartadas na natureza prejudicam em alto nível, é indispensável ter cuidado e não despejar os efluentes em recursos naturais ou próximos deles.
O produto cerveja é feito a partir de algumas substâncias, inclusive bactérias. Em excesso elas são misturadas aos demais efluentes e enviados aos rios e lagos. Lá, outras bactérias começam a se alimentar das partículas e geram gás carbônico na água, prejudicando o corpo hídrico e os animais presentes, por necessitarem de oxigênio para completar o processo.

Conheça os tipos de tratamento de efluentes

São efetuados dois tratamentos: o aeróbio, no qual se expõe micro-organismos ao oxigênio e o anaeróbio, onde se aplica micro-organismos que não precisam de oxigênio. Ambos são naturais e efetuados como processos biológicos. Caso deseje saber mais, veja as vantagens do tratamento de efluentes.

É possível aplicar, além desses, tratamentos físicos, químicos ou os dois. O primeiro caracteriza-se pelo momento em que os resíduos ou matérias mais sólidas passam por peneiras e são barrados. Faz-se a coagulação, floculação e controle do pH como propriedades do segundo procedimento.

Na coagulação, as partículas juntam-se em poucas quantidades. Na floculação agrupam-se em flocos e vão para o fundo dos tanques das estações de tratamento, a serem posteriormente eliminadas por agentes químicos. Forma-se lodo a ser desintegrado ou utilizado como fertilizante, a depender da sua composição. Aplicar a água a estações de tratamento de efluentes é essencial para reduzir em quantidade os efluentes dispensados nos corpos hídricos públicos. O ponto mais importante é que os procedimentos precisam estar de acordo com as normas vigentes de cada localidade.